animacao exemplo
Festas Típicas
 

São muitos eventos, durante o ano, como a Feira Agropecuária geralmente no final de abril e começo de maio, a maior das festas que é a Tirolerfest, a festa da imigração Austríaca, natal na praça, vários dias de comemoração natalina, e a festa de reveillon com queima de fogos e banda típica.


Feira da Agropecuária

A Feira Agropecuária, Industrial e Exposição de Gado Leiteiro, no final de abril mostra o potencial agrícola de Treze Tílias, onde o setor é destaque na economia, principalmente na atividade leiteira. Está instalada no município a Lacticínios Tirol, a maior indústria do Estado de Santa Catarina em pasteurização de leite e derivados.


Winterbierfest

Trata-se do Festival da Cerveja de Inverno que acontece sempre no mês de Julho, onde mais de 10 mil pessoas se encontram. A festa da cerveja de inverno acontece em dois finais de semana nas dependências do parque de exposições do município, e é mais uma opção para os turistas que visitam o Tirol Brasileiro. A bebida oficial da festa é o chope bock (bebida encorpada, de cor escura e com sabor amargo) muito popular na Áustria, e própria para as épocas frias do ano. Durante os dias de festa, os restaurantes da cidade servem pratos típicos da cozinha austríaca específicos para o inverno, como a sopa de Knodell, feita á base de massa e carne. Nos seis dias de festa são consumidos mais de 8 mil litros de chope bock. Durante esses dois finais de semana, a programação da festa inclui desfiles pela rua central da cidade, bailes do chope, gastronomia típica, exposição de esculturas e de artesanato, apresentações folclóricas e culturais. E, como acontece todos os anos, o bierwagem (o carro da cerveja) faz a distribuição do chope pela cidade. Sete bandas animam a festa no parque de exposições, durante o dia e a noite, e os bailes de chope na Sociedade Cultural e Artística Papuan (Socap). A banda dos tiroleses, trazida para o Brasil pelo primeiro navio de imigrantes em 1933, é sempre uma das grandes atrações da festa. Os seis hotéis da cidade ficam lotados. Mas o turista tem ainda como opção as pousadas e também algumas famílias que alugam quartos.


Semana da Escultura

Em julho é realizada a Semana da Escultura, onde a tradição desta arte teve início com a vinda dos pioneiros austríacos em 1933. É a arte sacra que impulsiona a escultura em madeira do município. Nesta semana todos os artistas reúnem-se para trabalhar em conjunto.


Tirolerfest - Festa da Imigração Austríaca
Homens e mulheres de estatura alta, crianças loiras de olhos azuis, sotaque carregado, trajes típicos com cores vibrantes e bordados primorosos. Assim são os habitantes de Treze Tílias, no meio-oeste catarinense, que promovem todos os anos a mais bela festa fora do Tirol: A Tirolerfest. A Tirolerfest está para os habitantes do “Tirol Brasileiro” assim como a Oktoberfest está para Blumenau. Durante seis dias a cidade fica tomada pela alegria e pelo espírito festivo da dança, da música e dos grupos folclóricos. Bebem-se milhares de litros de chope e cerveja e são consumidos os mais deliciosos pratos típicos da Áustria. As histórias da Pátria-Mãe e a saga dos imigrantes são revividas nos desfiles alegóricos pelas ruas centrais da cidade. À noite, nos pavilhões de shows, habitantes, turistas e muitos austríacos em visita a familiares, divertem-se e levantam canecas em festivos brindes de confraternização e amizade, no mais autêntico estilo de vida tirolez.

É na Tirolerfest que Treze Tílias mostra toda a herança austríaca de seus colonizadores. A festa conta com apresentações musicais, folclóricas e de dança, gastronomia típica e bailes, tudo regado a muito chope. A Tirolerfest é realizada desde a comemoração do primeiro ano de fundação de Treze Tílias, em 13 de outubro 1934. O destaque fica por conta do Baile do Chope, cuja bebida é liberada a noite toda e para a Noite Cultural. Esses dois eventos serão realizados na Sociedade Cultural e Artística Papuan - Socap, localizada na Rua Antônio Carlos Konder Reis, 46 - Centro. Os ingressos são limitados e podem ser adquiridos na Secretaria de Turismo ou pelo telefone (49) 3537-0997. Todas as outras atividades da festa acontecem na estrutura montada em frente à Praça Ministro André Thaler e têm acesso gratuito. Essencialmente a Tirolerfest tem como objetivo mostrar a cultura, a arte, o folclore, a culinária, a música e as tradições austríacas trazidas pelos imigrantes. Portanto, uma festa que mostra o que Treze Tílias têm nas suas tradições.


Natal

Uma das tradições que permanece é o Auto de Natal. Os festejos natalinos iniciam-se com o Advento. Na principal praça da cidade é instalada a Feira de Natal, que funciona todos os finais de semana, até o Dia de Reis. No centro, monta-se um palco, ao redor são colocadas casinhas de madeira, no estilo tirolês. Nessas casinhas, tanto os habitantes da cidade, como os turistas encontram produtos da terra e artesanato local. No palco, são realizadas apresentações folclóricas e o famoso Auto de Natal.

No Tirol austríaco, o Auto de Natal inicia-se no dia 5 de dezembro, à noite, na véspera do dia de São Nicolau. Já no início do mês, vários grupos se preparam para essa encenação, fazem suas vestes, que se assemelham às da época do nascimento de Jesus, trazem os animais, ensaiam os cantos. Do dia 5 até a véspera de Natal esses grupos visitam as famílias da região, levando-lhes paz e amor. Entre os dias 5 e 8 de dezembro, as famílias são visitadas por São Nicolau, que chega às casas acompanhado pelos anjinhos e pelos diabinhos, sendo que estes aguardam fora, esperando serem chamados por São Nicolau.

São Nicolau era um bispo que se preocupava com as crianças e não admitia que elas não tivessem pelo menos uma guloseima, um docinho no Natal. São Nicolau é muito venerado na Áustria. Ele entra na casa, conversa com as crianças, quer saber se foram obedientes, se brigaram com os irmãos, se sabem rezar (geralmente faz as crianças rezarem com ele), que notas tiraram na escola, etc. Se as crianças responderem que se comportaram, que tiveram boas notas, foram obedientes, o santo lhes dá doces, mas se disserem que brigaram com os irmãos, que não foram obedientes, ele chama os diabinhos que fazem caretas e barulho com as correntes: isso representa uma ameaça para as crianças que sabem que serão castigadas. Atualmente, a parte dos diabinhos é feita de forma branda, para não traumatizar as crianças. Nesse período, os grupos procuram visitar o maior número possível de famílias.

A partir dessa data começa o An Klöpfen, que é o Auto de Natal, e é a partir daí que, na verdade, se começa a festejar intensamente o Natal. A primeira pessoa a entrar na casa é a bruxa, figura que para nós, brasileiros, é estranha às festas de Natal, pois nos lembra Idade Média, feitiçaria. Mas para os tiroleses, seu significado é bem outro. A bruxa entra nas casas, varre os cantos, as paredes, faz uma inspeção, simbolizando a limpeza que devemos fazer para receber Aquele que está para nascer. Essa limpeza não é só física, mas, sobretudo espiritual. Na maioria das casas trezetilienses, encontramos na entrada uma bruxinha pendurada. No mês de dezembro, toda a cidade de Treze Tílias se prepara para o Natal, limpando suas casas e seu espírito.

An Klöpfen quer dizer bater, bater na porta, que é o que aconteceu com José e Maria, quando chegaram a Belém: batiam de porta em porta, pedindo abrigo, pois Maria estava prestes a dar à luz e não tinham lugar para ficar. Essa conversa de José e Maria com o hospedeiro, é feita por um grupo de cantores.

Em Treze Tílias, essa tradição foi introduzida pela família Moser. Infelizmente, apenas um grupo faz essa encenação, motivo pelo qual é impossível visitar todas as famílias. Mas o problema foi resolvido: na praça, o palco que foi erguido para as apresentações, serve também para o Auto de Natal. Inicia-se a apresentação com a bruxa passeando com a vassoura pela praça, logo após, vem Papai Noel, com os anjinhos e diabinhos, distribuindo doces. As crianças vibram e tentam adivinhar quem está por trás das máscaras de diabo. Quando todos pensam que tudo terminou, surge lá longe um homem, barbudo, com vestes antigas, tendo em uma das mãos um cajado esculpido e na outra, a corda que puxa o burrinho. Montada no burrinho vem uma adolescente, vestida de branco e azul. Trata-se de Nossa Senhora, acompanhada de São José. Enquanto eles vão se aproximando, o palco é tomado por cantores, pastores vestidos com pelego, carneiros, cabrinhas. Maria e José sobem ao palco e começa a encenação. Para encerrar, convidam a todos os espectadores a cantarem Noite Feliz - Stille Nacht, composta nos Alpes, por Franz Gruber.



® Copyright 2009 - Portal Turístico do Brasil. - Turismo Virtual